15 maio, 2009

Jesualdo: obviamente para continuar!

O FC Porto é Tetracampeão Nacional! Ao ganhar à excelente turma do Nacional, numa festa maravilhosa e com o Dragão em ebulição, a equipa portista confirmou o 4º título português consecutivo, o 3º com o Professor Jesualdo Ferreira aos comandos. O treinador transmontano passa então a ser, juntamente com Artur Jorge, o único que logrou alcançar três campeonatos para o nosso clube, sendo que no seu caso eles aconteceram de forma consecutiva. Conquistou, portanto, por mérito próprio, um lugar destacado na história secular azul e branca, conseguindo um feito único, com mestria e capacidade para resistir às imensas adversidades.

Ao fim de três temporadas, em que os resultados falaram quase sempre por ele, sente-se agora, finalmente, algum reconhecimento por parte dos portistas e da generalidade da crítica. Até meados da presente época, muito mais eram os seus detractores que os seus admiradores. Dois campeonatos e duas carreiras europeias meritórias não foram suficientes para que a sua qualidade fosse unanimemente reconhecida. As Taças e Supertaças perdidas e uma suposta falta de mentalidade vencedora eram utilizadas como armas de arremesso, sempre que algum resultado negativo surgia. Nunca tive dúvidas da sua competência enquanto treinador de futebol. Está na elite dos treinadores portugueses e não recebe lições de muita gente por essa Europa fora. Mais do que o Tetra, a forma como foi capaz de pegar num conjunto de novos jogadores, alguns deles de qualidade que suscitou muitas dúvidas inicialmente, transformando-o numa verdadeira equipa de campeões, é que parece ter dissipado todas as perplexidades nos mais pessimistas.

Não é segredo para ninguém que Jesualdo Ferreira nunca foi consensual no seio dos portistas. A sua prestação nos dois primeiros títulos sempre foi desvalorizada pela maioria. Ou porque estava num clube onde qualquer um era campeão, ou porque herdou a equipa já concebida por Co Adriaanse, ou porque detinha o melhor plantel relativamente aos concorrentes directos, tudo servia para que não fosse devidamente premiado. O trabalho realizado em 2008-09 pelo Professor foi, porém, demasiado evidente. Todos nos lembrámos do início penoso de temporada e do que se foi dizendo por aí. O cepticismo acerca do valor do plantel crescia a olhos vistos à medida que os desaires iam acontecendo. As críticas à qualidade de muitos jogadores contratados subiam de tom. O clube havia perdido jogadores nucleares do seu colectivo e diversos outros tiveram de ser integrados, alguns deles muito jovens, completamente desconhecidos para o público português e sem experiência num clube de topo.

O mérito de Jesualdo Ferreira nesta temporada é incomensurável. No início da temporada, se fôssemos ver a qualidade isolada jogador a jogador, considerava o plantel do Benfica, por exemplo, mais forte que o nosso. Hoje é mais fácil destacar algumas unidades portistas, mas para isso acontecer foi preciso que o seu crescimento e amadurecimento tivesse sido atingido de forma muito rápida e com pouca margem de erro. Se observarmos o nosso onze-base, constatamos que dele fizeram parte, nada mais nada menos que seis jogadores chegados ao FC Porto nesta temporada. Sapunaru não passava de um jogador medíocre, fartava-se de errar e não dava nenhuma profundidade ofensiva pelo flanco direito. Cissokho surpreendeu toda a gente e até já é falado para a selecção francesa, mas quando foi contratado no mercado de Inverno, evidenciava claras lacunas no aspecto defensivo e muitos foram os que duvidaram do seu valor. Rolando e Fernando não passavam de promessas à espera de uma oportunidade. Rodríguez demorava a confirmar a razão por que foi contratado ao Benfica e elevado a homem mais bem pago da equipa. Hulk era um individualista, sem ter nenhuma noção do que era jogar futebol colectivamente.

Se hoje são vistos de forma diferente, mais favorável, isso deve-se ao facto de a equipa ter crescido sob todos os pontos de vista, de o modelo de jogo ter sido paulatinamente consolidado, de a forma de jogar se ter aprimorado com o passar do tempo. E sabe-se que, numa equipa que funcione, as qualidades individuais são potenciadas. De repente, ficar sem jogadores da estirpe de Quaresma, Bosingwa e Paulo Assunção e ser obrigado a formar uma equipa para ontem, com vários novatos, no meio de uma pressão ganhadora asfixiante, seria sempre uma tarefa extremamente complicada. Jesualdo Ferreira conseguiu-o. Conquistou o Tetra, está na final da Taça de Portugal, obteve uma carreira europeia excelente, empatando de forma brilhante na casa do campeão europeu e apenas caindo graças a um momento de inspiração do melhor jogador do mundo. Tudo isto, com um plantel que apresentava várias limitações, quer de quantidade, quer de qualidade em alguns elementos, a que acresce uma certa baixa de rendimento da dupla Lucho-Lisandro (no caso de 'Licha', falo essencialmente no reduzido número de golos, em comparação com a época passada, já que a nível de atitude e inteligência colectiva, manteve-se igual a si próprio). Pelo meio, logrou o já referido crescimento em vários jogadores. Sapunaru é hoje visto como um lateral muito mais fiável. Cissokho é uma pérola a segurar a todo o custo e quando (e se) tiver de sair, que seja por muito dinheiro e após ter dado muito mais ao clube dentro do campo. Rolando é titular indiscutível e já é um central de selecção. Fernando conseguiu transformar-se no pêndulo da equipa, na unidade que garante os seus equilíbrios. 'Cebola' Rodríguez, após algumas dificuldades iniciais, pôs os benfiquistas a chorar de raiva e foi um dos mais destacados durante a época. Hulk cotou-se como a grande sensação do futebol português, exibindo potencialidades raríssimas e encaixando na perfeição no estilo de transições rápidas preconizado por Jesualdo. Mariano conseguiu resolver o seu problema existencial, controlando a ansiedade e aparecendo em grande quando a equipa necessitou dele. Raúl Meireles converteu-se num médio de categoria internacional. Farías marcou um número de golos muito interessante para o escasso tempo jogado e ainda fez várias assistências. Tomás Costa é algo limitado, mas foi útil em algumas ocasiões. E por aí adiante. E se isto aconteceu, o mérito é, em grande parte, de um homem: Jesualdo Ferreira.

A sua continuidade no Dragão para 2009-10 tem sido um dos temas mais falados neste final de estação. É compreensível. A SAD optou por fazer tabú dessa questão, dando azo às mais diversas especulações, algo que, em minha opinião, era completamente escusado. Quisémos saber o sentido das opiniões dos que nos visitam. Esteve aqui disponível, nas duas últimas semanas, uma sondagem com a pergunta imperiosa: 'Jesualdo Ferreira afirmou recentemente querer continuar no FC Porto. Concordas?' Das 369 pessoas que votaram, 240 (65%), onde me incluo, responderam taxativamente 'Sim'; 91 (25%) disseram 'Sim, desde que conquiste troféus esta época'; e 38 (10%) afirmaram 'Não'.

Perante estes resultados, conclui-se o que anteriormente afirmei: a maioria dos portistas já está, ao fim de três campeonatos ganhos, convencida da competência de Jesualdo Ferreira e é agora favorável à sua continuidade, facto impensável há uns meses atrás. A minha opinião é clara: é evidente que o nosso treinador deve continuar no FC Porto na próxima temporada e isso era algo que nem devia ser posto em causa. A SAD poderia já ter dado um sinal nesse sentido, se já lhe tivesse renovado o contrato, evitando o falatório a que se vai assistindo na comunicação social. Este tabú só faria sentido se a saída de Jesualdo estivesse decidida, numa medida que visava não desestabilizar o grupo de trabalho. A verdade é que, segundo as últimas notícias, ele vai mesmo continuar. Neste contexto, esta demora em tornar pública a decisão era evitável e julgo que Jesualdo não merecia estar sujeito a esta indefinição. E não me venham dizer que ele já tem conhecimento do seu futuro há muito, porque diversas declarações suas indiciaram o contrário. Se a SAD já decidiu há bastante tempo, não lho terá transmitido. Se decidiu apenas recentemente, esteve à espera do final da época para fazer o balanço dos títulos ganhos? Eu, pessoalmente, não precisava dos títulos (a final da Taça também é para ganhar...) para aferir da capacidade do 'Mister' e do seu merecimento em prosseguir no Dragão. No entanto, reconheço que se o título nacional não fosse alcançado, o panorama ficava bem mais complicado.

Por outro lado, falou-se muito da possibilidade de Jorge Jesus poder ser contratado. Assistimos, mormente nestas duas épocas mais recentes, à confirmação do actual timoneiro bracarense como um grande treinador de futebol, um dos mais categorizados deste país, sem qualquer dúvida. Admito que a tentação de o agarrar pudesse ser grande, até porque, não vindo para o FC Porto, irá certamente parar a um rival directo. No entanto, temos de considerar que esta equipa campeã, tal como está agora, foi formada pela cabeça de Jesualdo Ferreira e só ele lhe poderá conferir a margem de progressão natural na próxima época. Mantendo a maioria da espinha dorsal, mesmo admitindo uma ou outra saída dos 'pesos-pesados', esta equipa poderá continuar a desenvolver-se e ser ainda melhor no futuro. Com um técnico novo, por mais qualificado que fosse, seria sempre voltar ao ponto zero na construção da equipa, na definição do modelo, na implementação do sistema de jogo, na consolidação de processos, além de hipotéticas novas ideias no que à constituição do plantel diz respeito. Não há razão para se correr esse risco, quando acabámos de ser campeões e possuímos uma equipa com inequívoca margem para ser melhor. Seria um passo atrás completamente descabido. É hora de aproveitar e capitalizar o trabalho já realizado e procurar render mais para o ano.

Não nego que aprecio muitíssimo as ideias de Jorge Jesus e o conhecimento que parece transmitir. Um dia gostaria de vê-lo no clube, se nada de anormal acontecer entretanto. Também não vivo agarrado à figura de Jesualdo Ferreira. Se, em algum momento, achar que a sua permanência é prejudicial ao clube, serei o primeiro a defender a sua saída, porque o FC Porto está acima de quaisquer preferências pessoais. Não sou hipócrita e não tenho problemas em admitir que, após a goleada em Londres, apesar de ter defendido a sua continuidade, mais dois ou três resultados negativos e o seu despedimento seria inevitável. No entanto, a realidade cambiou e perante os factos presentes, só há uma coisa a dizer: obviamente que Jesualdo é para continuar. É isso que espero e aguardo essa confirmação o quanto antes.

PS1: Do trio Bruno Alves-Lucho-Lisandro, se tiver que sair algum, prefiro que seja o central português, por me parecer de menos difícil colmatação. Espero que não saiam dois... De resto, Cissokho, Meireles, Rodríguez e Hulk são obviamente para manter, a hora de sair ainda não chegou. Já agora, o Fucile que tenha juízo e, antes de começar a dizer asneiras, que trate de se consolidar no clube e continue humilde como até aqui.

PS2: Em matéria de entradas, o que foi já noticiado como consumado agrada-me, pelo facto de se ter voltado a apostar no mercado nacional, em jogadores de qualidade e já identificados com o futebol português. Lanço aqui mais quatro nomes que me enchem as medidas: Rúben Micael e Nené (Nacional), Marcinho (Marítimo) e Paulo Regula (Setúbal). Não quer dizer que viessem todos ao mesmo tempo, mas gosto do seu futebol. Por outro lado, estou a ver o Hélder Barbosa de volta ao plantel, embora a sua afirmação comece a tardar.

18 comentários:

  1. Bruno, perdoa o aparte.
    http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Desporto/Interior.aspx?content_id=1233100

    Não é que estas coisas das finanças importem tanto como a vertente desportiva.
    Mas que se façam agora ouvir os criticos dos contentores de jogadores e dos chulos daqui e dali.

    ResponderEliminar
  2. Bom artigo Bruno e com o qual eu concordo em grande parte.

    Fui um dos que mais criticou Jesualdo inclusivamente nos anos anteriores mas não tenho problemas em reconhecer que ele me convenceu e que a sua renovação já vem tarde. Esta suposta indefinição só serve para alimentar especulações e falatório. Acho até que começa a ser ensurdecedor o silêncio da SAD relativamente a Jesualdo e uma falta de respeito por um homem que, no período mais difícil do clube (entre apitos, Platinis e erros de arbitragem grosseiros) foi o único a fazer ouvir a sua voz contra as injustiças.

    No entanto, as dificuldades iniciais da equipa também tiveram muita culpa sua pois Rodriguez não é um extremo esquerdo como era Quaresma e Guarin ou Meireles não são trincos como o Porto precisa e como ele descobriu em Fernando. para mim houve ainda um outro erro que ainda se mantém (em parte) que é o afastamento de Lisandro da área e que provoca um deserto especialmente nos jogos em casa. Hulk não é um ponta de lança para jogar na área, é um avançado com características invulgares mas que precisa de ter algum espaço e embalar de trás. Por isso, o Porto beneficiou, em casa, quando passou a utilizar Farias na área.

    Quanto a Jesus não me parece um treinador à Porto: demasiado convencido, fanfarrão na maior parte das vezes e também ele muito defensivo. E se fez um belo trabalho em Braga também teve a ajuda do Guimarães que deu um tiro no pé com as ajudas aos Gayvotas na Champions e assim perdeu Alan, Renteria e até Luis Aguiar. Deixa-o ir para os GAYvotas e vais ver como se vai perder em pouco tempo. É que lá não lhe dão tempo para construir a equipa.

    Para o próximo ano acho que Lisandro (nem sequer renovou) e Bruno Alves vão mesmo sair e, por isso precisamos de alguém mais experiente para a frente. Só espero é que não saia mais ninguém do núcleo duro. As contratações já anunciadas parecem-me interessantes (embora Orlando Sá seja uma incógnita devido à sua lesão grave). No entanto, o sector que me parece mais deficitário é o meio campo pois ainda nestes últimos jogos se viu a falta de reais alternativas a Fernando, Lucho e Meireles. O Porto tem vários jogadores emprestados sendo que entre eles temos o Paulo Machado (não sei se se confirma a saída definitiva) e muito em especial Ibson que acho o maior crime não fazer parte do plantel do Porto. Aliás, se o Porto não tivesse renovado com ele, a esta hora já estava no GAYvotas.

    De qualquer maneira, ainda há mais 3 jogos para ganhar até final da época (especialmente a Taça) e depois então vamos ler ouvir e falar muito de novas contratações algumas possibilidades e muitos boatos.

    PORTO SEMPRE!

    ResponderEliminar
  3. Bruno,

    Percebo o que queres dizer e tens sido coerente neste tempo todo na defesa do Jesualdo. Mas acho o Jorge Jesus um treinador claramente superior tacticamente e com uma mentalidade mais à medida do clube. O Jesus privilegia o bom futebol, a posse de bola e o ataque continuado. Gosto mais deste tipo de jogo para o Porto. Se ele viesse, não acho que desbaratasse todo o trabalho já feito e que fizesse uma revolução de plantel. Poderia fazer alguns ajustes mas nada mais que isso. Por outro lado, não queria nada vê-lo no Befica.

    Sobre os jogadores a sair, eu penso que vão sair dois dos melhores jogadores, talvez o Bruno Alves e o Lisandro. Grandes jogadores, mas o Porto habituou-nos a suprir muito bem as ausências, mantendo o nível da equipa e as vitórias. Portanto não estou muito preocupado com isso. Desde que rendam, pelo menos, 20 milhões cada um, por mim tudo bem.

    Acerca das entradas, também aplaudo a mudança da aposta para o mercado nacional, em vez do sul-americano. Orlando Sá e Miguel Lopes agradam-me, Varela tenho dúvidas mas há que dar o benefício ao jogador e dar-lhe tempo para se adaptar. Sobre os que sugeres, Nené e Micael seriam excelentes contratações. O Regula não conheço o seu valor.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  4. Bruno:

    Continuaste sempre coerente na defesa do "teu" Jesualdo.

    Mas as críticas q fizemos foram sempre em forma de ajuda até em alguns casos utéis pq ele foi aproveitando umas dicas aqui e outras acolá_:)

    Eu sempre fui crítico mas tenho q reconhecer q neste campeonato há mt mérito dele e do seu adjunto José Gomes (muito criticado, injustamente). Dou o braço a torcer. Mas como percebem estive sempre com a equipa q está sempre acima de qq técnico.

    E por isso, tb concordo com a renovação.

    ResponderEliminar
  5. Assino por baixo toda esta tua análise ao mais infimo detalhe... tocas em todos os pontos possiveis, imaginários... e bem "reais" do que tem sido esta estadia do Prof. Jesualdo Ferreira na direcção técnica do FC Porto.

    Só hoje, e penso que é quase unânime essa opinião, aqui e acolá com uma ou outra voz (ainda) discordante, conquistou por mérito próprio o reconhecimento dos adeptos Portistas, com o seu trabalho e números em cima da mesa para análise... tudo o resto, são fait-divers!!!

    Comecei por defender a sua contratação, ainda no tempo do Braga... passei por uma fase de muitas dúvidas, se teria "força" para conduzir e segurar este "ferrari", mas há muito que me rendi às evidências... se ficar, que acredito venha a confirmar-se, mais dia, menos dia, será um justo prémio para ele próprio e uma opção correctissima da sua entidade patronal, que é este nosso FC Porto, que tanto amamos.

    Por fim, sobre as novidades no plantel... Néné tem perfil, Ruben Micael teve um lapsus-linguae recente contra o FC Porto no pós-eliminação da taça perante o Paços de Ferreira que deveria era baixar a bolinha perante a ainda sua pequenez desportiva, Marcinho e Paulo Regula talvez sim talvez não, já quanto a Hélder Barbosa, não sei, não sei, não sei, nunca mais dá o salto qualitativo perdendo o rótulo de promessa, a ver vamos.

    ResponderEliminar
  6. Viva.
    Vou dar a vaga por uns dias. Não me atrevo a dizer que vou de férias, pois um reformado não pode ir para onde já esta, mas enfim vou dar uns bordejos por ai na companhia da cara-metade há 38 anos. Acompanhar o blogue é que não vai ser possível, pois o portátil por imposição da dita cuja, fica em casa ou então não há nada prá ninguém, portanto até a vitória na Taça.
    BIBA O PORTO CARAGO:
    Ps: o nosso presidente sabe o que é melhor para o nosso Porto, portanto calma e confiem. Quando for a altura própria, o coelho sai da cartola.

    ResponderEliminar
  7. Inteiramente de acordo.
    Sim ao Jesualdo.

    Que até pode não passar por continuar a ser o Treinador Principal. Mas com outra Função.

    Vamos aguardar.

    Cumpts
    JC

    ResponderEliminar
  8. Sobre o Treinador está tudo dito, merece continuar e pronto. Que continue também a evoluir.
    Quanto a jogadores, temos alguns emprestados que podem dar boa conta do recado - Machado, Ibson - , há que reforçar sobretudo o meio campo, quanto ao Helder Barbosa, em fim de contrato, disse hoje que está disponível por jogar em qualquer clube, desde que jogue, o que se compreende.
    Seria bom rever o seu caso, é promissor mas tem de ter oportunidades. Senão ...
    Mas também me parece que estas discussões devem ser a partir do fim do mês..

    ResponderEliminar
  9. Viva !

    Excelente texto !

    Mas não é por o texto ser excelente que adianto o seguinte :

    Também votei a favor da continuidade.

    Faço parte de quem defendeu, pelo passado, a continuidade de Jesualdo Ferreira.

    Para mim, já o aqui escrevi várias vezes, Jesualdo Ferreira soube ganhar o campeonato dos campeonatos com 20 pontos de avanço.

    Soube estar presente num dos momentos mais difíceis da história do Porto.

    Como Portista, estou agradecido a Jesualdo Ferreira.

    Paralelamente, não vejo, em Portugal,um treinador, mas talvez me engane, que saiba ( desculpem a metáfora e sem qualquer ofensa )conjugar um infinitivo pessoal.

    É que um treinador já é muito mais que um mero treinador. É também um conferencista.

    E o Porto tendo, um estatuto nacional e internacional, a defender, deve conservar e respeitar esse estatuto.

    Estou a ser elitista ?

    Sem dúvida estou mal habituado. Mas é normal . Já há muito o Porto faz parte da elite do mundo do futebol.

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  10. Bruno,

    Mais um artigo exaustivo e de enorme qualidade, frisando bem o porquê de Jesualdo ser, actualmente, consensual na massa adepta do Porto. Estatuto, diga-se, conquistado a pulso, merecendo claramente os momentos de felicidade que vive.

    É, logicamente, para manter. E essa sua permanência, com a inflexão verificada nas contratações, apostando em jogadores novos, maioritariamente lusos, vai permitir ao Porto, estou certo, aumentar ainda mais a sua hegemonia.

    Entrando já no território das suposições, encarava bem a entrada do duo que mencionaste, vindo do Nacional. Parece-me que iremos ter uma pré-temporada repleta de novidades.

    Confesso que já sonho com um a frente de ataque com Hulk e...Renteria. Explosiva!

    ResponderEliminar
  11. Boas a todos.

    Dragão66,
    Concordo consigo no que diz acerca de Jesualdo e da SAD. Se fosse para Jesualdo sair, o silêncio até ao final da época era compreensível. Mas como parece que é para continuar, julgo que não custava nada que já houvesse confirmação. Fortalecia a imagem de Jesualdo, dava-se um sinal de confiança e penso que Jesualdo merecia isso. Era escusado que ele tivesse estado sujeito nas conferências de imprensa a sucessivas perguntas sobre o seu futuro.
    Sobre Jorge Jesus, é verdade que é um pouco fanfarrão e o seu discurso, por vezes, chega a ser um pouco patético. Mas penso que tem muita qualidade como treinador e percebe muito de bola. Agrada-me. Mas eu só falei nele porque acho que a SAD chegou a, pelo menos, equacionar a sua contratação, e falou-se muito sobre isso na comunicação social. Não é esta a hora de ele vir para o nosso clube. Aliás, parece que está a caminho do Benfica. Boa viagem!
    Sobre as saídas, se há jogador que não queria que saísse por nada, esse jogador é o Lisandro. Ainda tenho esperança que continue. Se não continuar, desejo-lhe toda a sorte do mundo. De resto, acho que Bruno Alves é capaz de sair. A ver vamos.

    Filipe,
    Escrevi um post sobre esse assunto dos modelo de jogo preconizado por Jesualdo. E defendi que este de transições rápidas era o mais adequado para tentar fazer carreira na Champions, pois jogar em ataque continuado com equipas mais fortes nem sempre é possível. O jogo em Manchester foi lindo e estivemos a um passo de, com esse modelo, arrumar o campeão europeu. Percebo o que dizes, também gosto de ver o FC Porto a dominar os jogos todos, em qualquer estádio, contra qualquer adversário, como acontecia no tempo de Mourinho. Mas com uma equipa nova como esta e atendendo às características dos nossos jogadores, penso que as transições rápidas são o caminho mais curto para a vitória. Aliás, os resultados e exibições como em Madrid e em Manchester vieram dar razão a Jesualdo. Por exemplo, não estou a ver o Hulk a jogar (bem) num modelo de ataque continuado e posse de bola constante...

    Lucho,
    Houve muitas críticas a puxar pela equipa e a tentar ajudar. Mas também se leram muitas destrutivas, a deitar abaixo o treinador e a dizer que o homem não percebia nada. Quanto às dicas, não sei se ele lê aqui o blog, mas é possível, é possível... :)

    Blue,
    Sobre o Micael, é verdade isso. Ainda no jogo recente no Dragão, também não curti muito a atitude dele. Mas enfim, ele é jogador do Nacional e só tem de defender o clube dele, nada mais. Parece-me um gajo com boa mentalidade e que tem muito futebol naqueles pés não tenho dúvida. É jovem, é português, o FC Porto precisa de um médio que seja alternativa a Meireles e Lucho. Acho que encaixava bem na nossa equipa.

    Fimoze,
    Se a cara-metade não deixa levar o portátil, então é melhor que cumpra a ordem. Deve ser por uma boa causa... :) Também acho que o nosso Presidente sabe o que faz e confio plenamente no seu trabalho, na sua capacidade e na sua sabedoria, genialidade mesmo. O seu currículo fala por ele. Mas isso não nos deve impedir de darmos a nossa opinião.

    ResponderEliminar
  12. PortoMaravilha,
    Percebo o seu ponto. É verdade que Jorge Jesus não tem um discurso muito elaborado, por assim dizer... É um pouco cromo a falar, ok, admita-se... E não sei se é ser elitista ou não, mas eu também gosto de ver um treinador do FC Porto que saiba falar, que saiba estar, que saiba discursar. Por exemplo, se tivéssemos um presidente a falar como o LFV, seria para mim um enorme desgosto. Mas no caso de Jorge Jesus, julgo que o seu saber futebolístico compensava essa lacuna ao nível do discurso. Acho-o mesmo um excelente treinador, mesmo com os pontapés frequentes que dá na língua portuguesa... Mas entendo perfeitamente onde quis chegar e, até certo ponto, concordo consigo.

    Paulo,
    Eu não sou grande adepto do Rentería e não acho que seja o avançado que o FC Porto precisa. Acho que o melhor era mesmo manter o Licha. Se isso não acontecer, penso que o Rentería não é homem para colmatar essa baixa. Resta-nos aguardar por novidades.

    Ainda há 3 jogos para ganhar antes disso, especialmente o do Jamor.

    ResponderEliminar
  13. Bom texto, exaustivo e bem definido nos pontos de vista sobre a continuidade...Pois bem eu pertenco a minoria e acho k Jesualdo nao deveria continuar....RAzões sob o meu ponto de vista, inumeras!!naturalmente que reconheço em Jesualdo capacidade tecnica, arma bem a equipa, mas falta-lhe arreganho, numa temporada que se avizinha de perdas nucleares a confirmarem-se os nomesm ventilados, acho k tb o treinador deveria encerrar um ciclo de preferencia com a dobradinha!!!Não vou escalpelizar sobre o k defendo, mas digo que basta por os olhos no jogo com o Nacional e perceber nele um pouco do espelho de toda a epoca...é certo que a equipa foi abnegada, é certo que os jogadores foram guerreiros , mas tb nao é menos verdade que nao saimos totalmente do momento negro as custas do bom futebol, e é ai que me baseio para a nao continuidade.. O Porto foi feliz, meritorio o trabalho do mister, mas as transiçoes nao sao um modelo que ganhe sempre campeonatos e isso provasse pelo sem numero de pontos perdidos em casa..Agora equacionem a saida de lisandro e vejam onde se vai agarrar jesualdo..Nao me vou alongar mais pork ainda é cedo para falar sobre o que antevejo da proxima epoca...mas deixo so um lamiré ...porque raio havemos de querer Nene quando Adriano, sao semelhantes, esteve e esta encostado!!?!?!?Deixa que pensar....Agora há uma coisa que tb penso que se fosse possivel manter este plantel com uma outra saida de jogador e entradas pontuais com acrescida sede de vitorias, ai acho k Jesualdo podia ser um bom mentor do Penta!!!Ao contrario da maioria, acho k kualker um dos nomes que hoje se discutem como tendo atingido um patamar de maturidade tem ainda mto a provar....cissokho, sapunaru, rodriguez, hulk...sao nomes que espero estar enganado ainda nao mostraram totalmente que sao de igualha alguns nomes que passaram pelo Dragão!!! Kd eles valerem 20, 30 milhoes ai sim !!!ate la sao jogadores que vivem do elan colectivo que potencia jogadores banais e nisso nos somos reis da formação!!!Iguais ou tao bons habitam nos nossos rivais e ninguem da nada por eles!!!

    ResponderEliminar
  14. POR UMA REVOLUÇÃO NO FUTEBOL EM PORTUGAL15 maio, 2009

    http://www.ipetitions.com/petition/revolucaofutebolportugal/

    ResponderEliminar
  15. Votei, Jesualdo sem hesitar, logo no primeiro dia do inquérito!

    Mas, mesmo assim eu prefiro esperar que acabe o campeonato, e trazer a taça para o nosso futuro Museu, e depois sim, falar de entradas e saidas de jogadores, apesar que aquilo que o Presidente decidir para mim está bem!
    Mas não envalida que eu possa ou não dar um ou outro palpite, mas prefiro esperar que acabe a época!

    BIBÓ PORTO

    ResponderEliminar
  16. Bruno Rocha,

    O Nené é muito, mas muito melhor jogador que o Adriano. E em termos de características, são bastante diferentes. O Adriano é apenas um finalizador, o Nené é muito mais que isso. Em minha opinião, não há comparação possível.

    ResponderEliminar