24 fevereiro, 2011

Derrota com sabor a vitória

http://bibo-porto-carago.blogspot.com/

assistência: 35.609 espectadores.

Árbitro: Howard Webb (Inglaterra), Assistentes: Peter Kirkup e Stephen Child, Assistentes adicionais: André Marriner e Michael Oliver; Quarto árbitro: Stuart Attwell

FC PORTO: Helton «cap.»; Fucile, Rolando, Otamendi e Alvaro; Fernando, Belluschi e João Moutinho; Hulk, Falcao e Varela.
Substituições: Falcao por Guarín (75m), João Moutinho por Sapunaru (75m) e Varela por Maicon (84m).
Não utilizados: Beto, Rodríguez, James e Rúben Micael.
Treinador: André Villas-Boas.

SEVILHA: Javi Varas; Sergio Sánchez, Alexis, Fazio e Fernando Navarro; Rakitic e Zokora; Jesús Navas, Kanouté «cap.» e Perotti; Negredo.
Substituições: Zokora por Medel (46m), Sergio Sánchez por Luís Fabiano (55m) e Perotti por Rodri (85m).
Não utilizados: Dani Jiménez, Renato, Escudé e Dabo.
Treinador: Gregorio Manzano.

Marcadores: Luís Fabiano (71m).

Disciplina: cartão amarelo a Fernando Navarro (13m), Alexis (22m e 77m), Belluschi (48m), Luís Fabiano (84m); cartão vermelho a Alvaro (71m), Alexis (77m).

A derrota por 1-0 nesta segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa, juntamente com a vantagem de 2-1 alcançada em Espanha na primeira volta permite ao FC Porto seguir em frente na prova e defrontar os russos do CSKA nos oitavos de final da Liga Europa.

O FC Porto dominou praticamente os primeiros 70 minutos de jogo, até ao golo do Sevilha, dando a entender que a equipa espanhola chegou ao Porto com a estratégia de adormecer o Dragão para depois apunhalá-lo nos minutos finais.

Com Falcao no ataque e Alvaro Pereira na defesa, o FC Porto ganhou outra mobilidade, permitindo que o seu jogo fosse mais fluido e dinâmico.

No primeiro tempo, o FC Porto enviou uma bola à barra, num cabeceamento de Falcao (que regressou à competição um mês depois) ao minuto 33 e, dois minutos antes, Alvaro Pereira testou a atenção do guardião Javi Varas com um remate colocado enviado fora da área.

Nota ainda para o descuido do árbitro Howard Webb que assinalou falta a Alexis sobre Hulk perto da grande área e esqueceu-se de mostrar o segundo cartão amarelo, e consequente cartão vermelho, ao defesa do Sevilha.

Nos primeiros minutos do segundo tempo, o relvado do Estádio do Dragão pareceu estar inclinado em direcção à grande área de Sevilha, tal era a pressão ofensiva do FC Porto sobre o Sevilha.

Falcao, João Moutinho e Hulk estiveram muito perto de marcar mas deixaram as celebrações para o adversário quando Luís Fabiano fez o golo para o Sevilha. Ao minuto 70, Negredo isolou Luís Fabiano na área e o brasileiro rematou cruzado para o fundo da baliza portista, sem hipóteses de defesa para Helton.

A vencer por 0-1, os sevilhanos apostaram tudo dentro de campo, colocando a maior parte dos seus jogadores no lado adversário para tentar empatar a eliminatória. Este espaço permitiu ao FC Porto atacar em velocidade mas a eficácia não quis nada com a formação azul e branca.

Os corações azuis e brancos só descansaram quando o juiz da partida apitou para o final do encontro. Um grande jogo de futebol entre duas grandes equipas mas que deu a sensação que a equipa azul e branca podia ter goleado o Sevilha.

O Estádio do Dragão apresentou-se quase cheio esta quarta-feira à tarde, mesmo sendo um horário difícil para os trabalhadores, mostrando que os adeptos portistas acreditam na carreira dos Dragões nesta Liga Europa.

PS - em 2011, vamos na 3ª derrota no Estádio do Dragão... vale o que vale!!

DECLARAÇÕES NO FINAL DA PARTIDA

André Villas-Boas: «Foi preciso muita concentração e disciplina. Tivemos grandes oportunidades que não se concretizaram. A vitória na primeira-mão foi importante e isso leva à passagem à próxima fase, neste que era intitulado como um jogo da Liga dos Campeões. Somos um grupo forte, com desejo e crença. O CSKA é uma equipa competitiva, cria outro desafio. Mas esta equipa está preparada para os objectivos de alimentar o sonho de duas competições.»

Hélton: «Com o sofrimento que tivemos no final da partida, foi complicado, mas cumprimos o objectivo de passar. No final do jogo, cumprimentei e dei os parabéns ao guarda-redes do Sevilha, esteve realmente muito bem. O momento é de festa, de comemorar, porque não foi fácil. Amanhã, voltaremos ao trabalho a pensar no jogo de sábado, que é o mais importante.»

16 comentários:

  1. Bom jogo do FC Porto, equipa muito equilibrada, com excelentes transposições defesa-ataque. Incríveis perdidas: ficaram vários golos por marcar. Teria sido um fechar calmo da eliminatória. Assim tivemos que sofrer até ao último segundo. Aí, no “aguentar”, a equipa também esteve muito bem; mas era escusado fazerem-nos sofrer tanto… Com Álvaro Pereira na esquerda, é outra coisa. Rolando fez uma excelente exibição, manchada pela “abébia” no golo de Fabiano. Hulk pode queixar-se de Varas; mas merecia umas varadas pelo desperdício.
    A Europa conquista-se sem recitais de ópera… E lá vamos nós para mais um concerto.
    Bibó Porto, carago!

    ResponderEliminar
  2. Ouvi a 1ª parte pela rádio e vi na integra a 2ª parte do jogo, e muito sinceramente há muitos anos que não via um jogo tão desnecessariamente sofrido como este.

    O FC Porto criou inúmeras oportunidades de golo, jogou bem, esteve concentrado a defender durante grande parte do jogo e demonstrou uma dinâmica ofensiva e frescura física impressionantes para esta altura da época…

    Todavia, falhou golos de uma forma incrível e até estranha para a eficácia que temos visto na equipa… Tantas oportunidades desperdiçadas, bolas à barra, lances cara a cara com o GR adversário, e no fim de tudo nem um golo marcado…

    Basicamente, pode dizer-se que foi ver o FC Porto a jogar e o Sevilha a marcar numa das raras oportunidades de golo… Apesar de tudo, a equipa soube aguentar-se bem depois do golo sofrido e acabou por passar muito justamente aos oitavos da LE.

    Enquanto em Sevilha a vitória quase nos caiu do céu, hoje merecíamos ter ganho por vários golos de diferença porque jogamos para isso.

    O futebol é mesmo ironico e incrivel (talvez por isso desperte tantas paixões!). Tantos jogos a nos lamentarmos por exibições fracas com vitórias, e hoje jogamos tão bem e perdemos… Claramente trocava uma exibição como a de hoje por uma menos vistosa, sem tantos lances de golo, mas com uma vitória tangencial…

    Segue-se o CSKA de Moscovo, uma equipa difícil, com uma deslocação complicada. Mas depois de termos batido um candidato ao título da LE (todas as casas de apostas o diziam!) como o Sevilha, agora apenas a final é o nosso limite. Se bem que a falhar tantos golos como hoje, podemos ter sérios problemas…Atenção!

    GRANDE FC PORTO! RUMO Á VITÓRIA EM DUBLIN!!!!!!!!!
    PS: O ditado/mito/falsidade que mais detesto é “só faz falta quem cá está”. Não há que ter complexos em dizer que Pereira e Falcao fazem muito falta a este FC Porto. São dois jogadores de enorme dimensão física, técnica e táctica. Conferem uma dimensão mundial a esta equipa e uma qualidade adicional incrivelmente superior. O seu regresso é excelente e já em Olhão vão dar imenso jeito!

    ResponderEliminar
  3. Viva !

    Eu que tinha dito que nunca assistiria a um a jogo da Liga Europa ( ou vice versa )tornei a não resistir.

    Vi a primeira parte e o último quarto de hora. O horário do jogo foi absurdo.

    O Porto fez um grande jogo na primeira parte. A bola deslizava suavemente entre as linhas, as alas existiam.

    Oportunidades, houve-as. Mas o futebol é também feito de azar e sorte.

    Vi depois o último quarto de hora onde um vi um Porto em grande precipitação, querendo jogar mais rápido que o Sevilha. Algo que não se entende, já que era o Porto quem estava qualificado.

    Essa mesma precipitação não se entende.

    Precipitação que, quanto a mim, levou a sofrimento. O que era desnecessário.

    Isto dito :

    Mais uma Vitória mais uma Alegria !

    E Viva o Porto !

    ResponderEliminar
  4. Jogo de Champions no Estádio do Dragão. Esta partida podia muito bem ser uma final antecipada desta edição da Liga Europa, mas o destino ditou que o duelo ibérico fosse já nos 16 avos-de-final.

    Apesar do horário esteve uma boa casa no Estádio do Dragão, cerca de 35mil pessoas, sendo 1000 afectas ao clube espanhol, com uma bela coreografia proporcionada pela claques do SuperDragões antes do inicio do encontro.

    Foi do Sevilha que surgiu a 1ª opurtunidade do jogo, num remate a sair pouco ao lado da baliza de Helton, num dos poucos remates dignos desse nome por parte do clube andaluz. Ao longo do tempo o FC Porto foi impondo o seu jogo e desperdiçou um número de ocasiões inacreditável.

    O nosso matador por pouco que não regressou em grande, com um remate fantástico de cabeça que infelizmente bateu na barra de Varas, que foi de longe o melhor jogador do lado do Sevilha.

    O 2º tempo foi mais do mesmo: dominio azul e branco. Contra a corrente do jogo, o Sevilha faz o único tento da partida por intermédio de Luis Fabiano e como diz no site oficial do FCPorto, um golo com seis anos de atraso! O 1-0 dava algum alento aos espanhóis e a juntar-se ao golo, surgiu pouco depois a expulsão de Álvaro Pereira.

    Grande balde de água fria no Dragão, num dos jogos mais sofridos por parte de todos nós. Alexis também foi expulso (tardiamente) para o lado do Sevilha, e quando estavam as duas equipas com 10 elementos, foi mais um festival de opurtunidades falhadas por parte dos Dragões.

    Missão cumprida, estamos nos oitavos-de-final! Segue-se agora o CSKA de Moscovo, onde esta aventura na Europa só acabará em Dublin!

    ResponderEliminar
  5. Um Porto forte, unido, solidário, a jogar bem e em vários momentos muito bem, pressionou, controlou, dominou e só não ganhou, porque foi demasiado perdulário. Não me lembro, em jogos desta importância, de ver o conjunto portista a criar e desperdiçar, tantas e tão boas oportunidades. Entrando concentrado, seguro atrás, criativo no meio-campo e dinâmico no ataque, o conjunto de André Villas-Boas foi sempre superior, não merecia ter perdido e pior, ter sofrido tanto para passar aos oitavos-de-final.


    O desperdício desta tarde/noite, dava para ganhar, não um, mas três jogos deste nível, o que atesta bem da qualidade da exibição portista. Hulk, Falcao, Moutinho, Belluschi, Guarín e até Fernando, falharam oportunidades, não daquelas que são apenas meias oportunidades, mas daquelas cantadas, em que o mais difícil parecia ser falhar. Também dizem muito do que foi a exibição do conjunto azul e branco, os dez cantos a favor e apenas um contra. Não mereciamos perder, mas, como nas provas a eliminar o que interessa é passar, nós passamos e passamos com um mérito e com uma justiça que ninguém ousará colocar em causa.

    Ao perdemos o jogo terminou uma série bonita de resultados, na europa - 8 vitórias e 1 empate -, mas não fiquei nada triste. Há vitórias que nos diminuem e derrotas que nos engrandecem. Este jogo, num Dragão, que apesar da hora, teve uma ambiente magnífico e uma assistência muito razoável, foi o caso. Jogue sempre assim o F.C.Porto que, de certeza, não vai perder muitas mais vezes. E mais, quem joga assim, frente a uma equipa da qualidade do Sevilha, recheada de grandes jogadores, tem o direito a sonhar e não pode ser acusado de irrealismo, muito menos de fanfarronice.

    Notas finais: foi um jogo de Champions, com duas equipas de Champions e uma, a de arbitragem, de regional. Se este senhor é o melhor árbitro do mundo, muito mal vai a arbitragem no desporto rei.

    Nos oitavos-de-final, lá vamos até Moscovo, defrontar o nosso velho amigo, CSKA. Temos sido felizes, frente ao clube da capital russa, mas não é tempo para falar disso...
    Agora olhemos para o campeonato, onde nos espera um difícil obstáculo, em Olhão, já daqui a três dias e depois de um jogo que nos obrigou a dar tudo, física e mentalmente.

    Apenas vou falar dos regressados, Falcao e Álvaro. O colombiano acusou a paragem, pareceu receoso e como o problema foi no joelho e isso não lhe permitiu tarbalhar, acabou cedo e por isso não teve a frescura para concretizar, uma ou outra oportunidade que normalmente não desperdiça. Mas está de regresso e agora só precisa de sorte e de ritmo. Com ele na frente é outra loiça...


    Álvaro, como a lesão foi no ombro, praticamente não parou e pôde aparecer muito bem. Com ele a equipa ganha uma profundidade e uma qualidade, pela esquerda, que sem ele, jogue ali quem jogar, não tem.
    Pena a expulsão, justa, mas que, atendendo ao critério do senhor Webb, não deveria ter acontecido. Se este artista só tem de se preocupar com a arbitragem - é profissional - e faz arbitragens destas, mas vale o amadorismo!

    Com Falcao e Palito, o F.C.Porto é muito mais forte e tem muitas mais alternativas.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Bom dia,

    Ontem o FC Porto fez um jogo quanto baste, para vencer novamente este Sevilha.
    Fomos infelizes e trapalhões na finalização. Dominamos o jogo, e sofremos um golo da única forma que o Sevilha poderia criar perigo ... em contra-ataque.
    O Sevilha conta com jogadores de excelente qualidade, e teve como estratégia clara, não atacar desenfreadamente, mas sim esperar pela sorte de obter um golo, e depois sim tentar discutir a passagem.
    Mesmo depois de terem obtido vantagem no marcador, foi o FC Porto que esteve mais próximo de marcar, tendo os andaluzes uma única oportunidade por Perotti, que entra em campo sem que os jogadores do Porto se apercebam, e mesmo ele por entrar à pressa não consegue ter discernimento para finalizar.

    O árbitro inglês esteve péssimo no capitulo disciplinar. Navarro deveria ter sido expulso na primeira parte, e depois na segunda parte.
    Perotti agride sem bola Fucile e não é expulso, Kanouté dá uma cotovelada em Varela numa disputa de bola no ar ...
    Alvaro é mal expulso no meu entender, ele tenta disputar a bola com afinco, e não tem travões ... enfim uma péssima arbitragem do ponto de vista disciplinar de um árbitro que já na final do campeonato do mundo, havia cometido erros de avaliação disciplinar prejudicando na altura a Espanha diante da Holanda (Webb bateu o recorde de cartões em jogos de final de Mundial. Foram 14 amarelos e um vermelho).

    Destaques na nossa equipa para Fernando, Rolando, Otamendi, excelentes na defesa.
    Belluchi fez um excelente jogo.
    Varela, Hulk e Falcao foram uma carga de água para os andaluzes e foi pena não terem finalizado com sucesso as oportunidades.

    Nota positiva para o público que compareceu em excelente número apesar de ser dia de trabalho.

    Nota positiva para Villas-Boas que após a expulsão mexeu e bem na equipa, travando por completo a reacção do Sevilha.

    Agora temos pela frente mais uma equipa forte técnicamente, e com uma deslocação sempre difícil à Rússia.
    Mas o CSKA de Moscovo é uma equipa ao alcance de um Porto ao seu melhor nível.

    Abraço e boa semana

    Paulo

    http://pronunciadodragao.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Boas,

    Sobre o jogo de ontem não ha muito a dizer. Jogamos bem, fomos organizados, solidarios, tivemos empenho, criamos varias oportunidades ... e perdemos. Posto isto o importante é que passamos e que venha o CSKA ... espero só parar em Dublin !!!

    um abraço

    http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Jogar para a goleada e acabar perdendo. Esta frase sintetiza o que se passou ontem no Dragão.

    Tanto golo falhado! Estamos nos oitavos, como ambicionávamos, com todo o mérito, diga-se.

    Agora toca-nos o CSKA de Moscovo.

    Vamos lá a afinar a pontaria para continuarmos a sonhar em Dublin.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  9. Passamos a eliminatória, e isso neste momento é o que me importa. Comentários mais analíticos e elaborados deixo para quem sabe e para os que julgam saber.

    ResponderEliminar
  10. Para a vitória faltou-nos a sorte que nos bafejou em Sevilha! De resto conseguimos o objectivo (difícil) de seguir em frente! Agora é dizimar os russos!

    ResponderEliminar
  11. Offtopic, em Espanha apanharam o jornal "AS" com as calças na mão, só falta mmo a bolha e o rascord de cá

    http://www.jn.pt/PaginaInicial/Desporto/Interior.aspx?content_id=1792042

    ResponderEliminar
  12. Mas que grande festival.... de golos falhados!!

    Não me lembro doúltimo jogo europeu em que tenhamos falhado tantos golos inacreditavelmente!!

    Passamos, fomos a melhor equipa, venham agora os russos.

    Devagar se vai ao longe, vamos pensar num adversário de cada vez.

    ResponderEliminar
  13. Nós já lá estamos, os outros 3 a ver vamos...

    Força Porto!

    ResponderEliminar
  14. penso que o encontro de ontem já foi conveniente e superiormente escalpelizado no post e demais comentários ;)

    deixo só esta nota: é (também) com encontros como o de ontem que se sente o nosso Portismo! mesmo a roer as unhas e com (algum) credo na boca, acreditámos sempre na Equipa.

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

    Miguel | Tomo I

    ResponderEliminar
  15. Peço desculpa, mas tenho que discordar em absoluto do título deste "post". Naquela casa, meus caros, as derrotas nunca têm sabor a vitória. Não gostei de perder com os espanhóis - o povo que mais desprezo a seguir aos 6 (??????) milhões. Nunca gosto de perder. Nem a feijões.

    ResponderEliminar
  16. Apesar da derrota, gostei imenso da atitude da nossa equipa, e cá estamos nós para a próxima eliminatória!

    BIBÓ PORTO

    ResponderEliminar